Aprenda copy com a minha avó

senior-1559369_1920

Gatilhos mentais, templates, listas de palavras persuasivas, planilha de técnicas…

Nada disso será eficiente se o copywriter não tiver internalizado o conhecimento de persuasão e de copywriting.

Nenhum grande copywriter fica pensando em que tipo de gatilho usar agora, por exemplo.

Compreendido o contexto — e isso inclui o público/persona, dor/desejo, promessa — o copywriter escreve para envolver o leitor emocionalmente e deixá-lo propenso a aderir a oferta.

Minha avó era analfabeta e conseguia me persuadir com um minuto de conversa. Isso porque me conhecia desde que nasci e sabia tocar meu sentimento para me fazer aderir suas ideias. Nunca consegui dizer não à velha.

Essa é a analogia é perfeita para exemplificar o que acabei de dizer.

Gostou? Entrego insights como esse no meu perfil do Instagram. Siga aqui!

Tudo o que você precisa saber para gerar mais tráfego, mais leads e mais vendas usando o poder da persuasão e copywriting!

Paulo Maccedo

Paulo Maccedo

Analista de marketing, escritor best-seller, copywriter de resposta direta; criador do primeiro clube de copywriting do Brasil; autor do que é considerado o livro de copy mais completo em português; carioca, casado, pai do Peter e do Benício; gosta de rock, churrasco e literatura.
Paulo Maccedo

Paulo Maccedo

Analista de marketing, escritor best-seller, copywriter de resposta direta; criador do primeiro clube de copywriting do Brasil; autor do que é considerado o livro de copy mais completo em português; carioca, casado, pai do Peter e do Benício; gosta de rock, churrasco e literatura.

Deixe uma resposta

Quem gostou deste artigo leu um desses

Fechar Menu