O mago mais procurado da indústria de publicidade

O mago mais procurado da indústria de publicidade

David Ogilvy foi um dos profissionais mais criativos e influentes de todos os tempos.

Minha visão de negócios e escrita mudou radicalmente quando conheci o trabalho de Ogilvy, principalmente através do livro “Confissões de um Publicitário”.

Segundo o publicitário brasileiro Washington Olivetto, Ogilvy conseguiu atingir um alto grau criativo e se destacou como um homem de negócios agressivo, sem perder a elegância e a ética.

Sua forma de pensar e conduzir grandes campanhas era primorosa e formou uma das escolas mais significativas da história do marketing.

Reúno neste conteúdo algumas informações essenciais sobre a história e forma de pensar de David Ogilgy!

O que você precisa saber sobre David Ogilvy agora

David Ogilvy

David Ogilvy nasceu em 23 de junho de 1911 em West Horsley, Surrey, na Inglaterra.

Sua mãe era Dorothy Blew Fairfield, filha de Arthur Rowan Fairfield, um funcionário público da Irlanda.

Seu pai, Francis John Longley Ogilvy, nasceu na Argentina e era um autodidata falante gaélico, um estudioso de clássicos e  corretor financeiro fracassado.

Ogilvy foi educado nos colégios St. Cyprian’s School , em Eastbourne , com taxas reduzidas por causa das circunstâncias difíceis de seu pai.

E ganhou uma bolsa de estudos aos 13 anos de idade no Fettes College, em Edimburgo.

Sabe-se que os estudos de Ogilvy não tiveram muito sucesso e por isso, em 1931, ele decidiu se tornar aprendiz de chef de cozinha em Paris.

Um ano depois foi para Escócia e começou a atuar como vendedor de fogões de porta em porta.

Nessa época, seu patrão pediu que ele escrevesse um manual de instruções para os outros vendedores: The Theory and Pratice of Selling the AGA Cooker.

Trinta anos depois, os editores da revista Fortune o consideravam o melhor manual de instruções de vendas já escrito.

Foi esse manual que abriu as portas para ele trabalhar como redator numa agência de publicidade, por indicação de seu irmão.

Trabalhando nessa agência, mandaram-no, por um ano, trabalhar para o Audience Research Institute, de George Gallup (criador de um método estatístico bem-sucedido de amostragem de pesquisas para medir a opinião pública).

Durante a Segunda Guerra Mundial, Ogilvy trabalhou para o Serviço Britânico de Inteligência. Lá ele analisou e fez recomendações sobre assuntos de diplomacia e segurança.

De acordo com biógrafos, “ele extrapolou seu conhecimento do comportamento humano do consumismo para o nacionalismo em um relatório que sugeriu ‘aplicar a técnica Gallup em campos de inteligência secreta’.”

Quando a guerra terminou, ele fundou uma das mais famosas agências do mundo, a Ogilvy&Mather. Ogilvy atribuía o sucesso de suas campanhas à pesquisa meticulosa sobre hábitos de consumo.

Usou na publicidade muito do que aprendeu na época que atuou com o serviço secreto.

Atualmente, Ogilvy é amplamente aclamado como “o pai da propaganda moderna”.

Em 1962, a Revista Time o chamou de

“O mago mais procurado na indústria de publicidade”.

Vamos conferir agora alguns dos pensamentos desse gênio…

David Ogilvy

“Uma vez vendedor, sempre vendedor”.

Ogilvy abre o livro “Confissões de um Publicitário” com a frase acima. Isso faz menção ao fato de sempre valorizar as vendas, algo que aprendeu na época que vendia fogões de porta em porta.

David Ogilvy também usou toda a sua experiência em vendas diretas na área de publicidade. Ele aconselhava seus homens a escreverem anúncios que vendiam e não que pensassem em ganhar prêmios.

“Acredite no que você vende”.

Ogilvy defendia que você precisa acreditar no que vende.

O trecho abaixo deixa isso claro:

“O produto deve ser algo que nos orgulhemos de anunciar. Nas raras ocasiões que anunciamos produtos de que particularmente não gostávamos, fracassamos. Um advogado pode ser capaz de defender um assassino que sabe ser culpado; um cirurgião pode sentir-se capaz de operar um homem de quem não gosta; mas a isenção não funciona na comunicação. Um certo grau de comprometimento pessoal é exigido para que um redator possa vender o produto”.

“O cliente não é idiota, é sua esposa”.

“O consumidor não é um idiota; é a tua mulher” ─ dizia ele ─ “Você está insultando sua inteligência se acredita que, com um lindo logotipo e um par de adjetivos insossos vai convencê-la a comprar. Ela quer toda a informação que você pode lhe dar.”

Na mesma linha, também aconselhou: “Nunca escreva um anúncio que você não gostaria que sua família lesse. Você não contaria mentiras para a sua própria esposa. Não conte para minha.”

“Seja informativo”

“Quando eu era vendedor de porta em porta, descobri que quanto mais informações eu dava sobre meu produto, mais eu vendia.” Isso destaca a importância de usar o máximo de informações, provas, dados e fatos sobre produtos na hora de vende-lo. “Quanto mais informativo for o seu anúncio, mais persuasivo ele será!”

“Trabalhe duro e foque em resultados”

Em “Confissões de um Publicitário”, no capítulo X, Ogilvy dá conselhos a jovens que desejam se destacar na carreira de comunicação. Ele fala algo sobre ser ambicioso, trabalhar duro e sempre pensar em resultados.

Ao falar sobre Claude Hopkins, ele destaca: “Hopkins atribuiu seu sucesso ao fato de que trabalhava o dobro de horas de outros redatores, e assim subiu na carreira com o dobro de velocidade deles.”

Outros de seus pensamentos marcantes

David Ogilvy

“Boa escrita não é um dom natural. Você precisa aprender a escrever bem”.

“Admiro pessoas que trabalham duro, que enfrentam a batalha. Detesto os passageiros que não trabalham para carregar o próprio peso no barco”.

“Uma vez vendedor, sempre vendedor”.

“No mundo moderno dos negócios é inútil ser um pensador criativo e original, a menos que você também saiba vender o que cria”.

“A maioria das campanhas que levaram marcas à fama e à fortuna surgiu da parceria entre um redator talentoso e um cliente inspirador”

“As normas existem para a obediência dos tolos e a orientação dos sábios”.

“Nunca escreva um anúncio que você não gostaria que sua família lesse. Você não contaria mentiras para a sua própria esposa. Não conte para a minha.”

“Estou à caça de cavalheiros com cérebro”.

Sua campanhas mais famosa

david ogilvy

“A 60 milhas por hora o barulho mais alto do novo Rolls-Royce vem do relógio elétrico”.

10 conselhos para ser um redator altamente criativo

#1 – “Escreva da maneira como você fala. Naturalmente”.

#2 -“Use palavras curtas, sentenças curtas e parágrafos curtos”.

#3 -“Nunca use jargões. Eles são características de um burro pretensioso”.

#4 – “Nunca escreva mais de duas páginas sobre qualquer assunto”. (Falando sobre impressos).

#5 – “Nunca envie um texto para o cliente no mesmo dia. Leia em voz alta na manhã seguinte ao dia da produção e edite-o”.

#6 – “Se é um trabalho bastante importante, peça para um colega ler, analisar e melhorá-lo”.

#7 – “Antes de enviar seu texto, verifique se ele é cristalino e se mostra com clareza o que o alvo precisa fazer”.

#8 – “Estude o produto antes de criar a campanha”

#9 – “Editores de revistas são melhores comunicadores que os publicitários. Copie suas técnicas”.

#10 – “O que você diz é mais importante do que como você o diz”.

Não pare por aqui…

David Ogilvy

Um amigo certa vez me disse que não é suficiente ler David Ogilvy, é preciso entender David Ogilvy.

Bem, estou há algum tempo tentando entendê-lo.

Assim como outros gênios do marketing e da comunicação, é preciso dedicação para chegar a algum entendimento plausível sobre sua forma de pensar.

Por isso aconselho que você não pare por aqui…

Busque saber mais sobre quem o pai da publicidade moderna e eleve sua forma de fazer marketing e escrita.

Aconselho começar pelo livro citado no artigo:

“Confissões de um Publicitário”.

About Paulo Maccedo

Paulo Maccedo é escritor best-seller, profissional de marketing e copywriter. Além de escrever livros, trabalha ajudando empreendedores a influenciar pessoas e construir negócios mais lucrativos usando o poder das palavras.

Deixe uma resposta

Fechar Menu