Sobre continuar vendo apenas memes de gatinhos ou ter uma mentalidade empreendedora

Sobre continuar vendo apenas memes de gatinhos ou ter uma mentalidade empreendedora

Minha última conversa inbox num domingo de novembro foi com um jovem que fez a inscrição no meu curso de copywriting. Ele tinha acabado de pedir demissão. “Hoje foi o meu último dia. Decidi seguir o meu coração”, revelou.

Em outro momento da conversa, ele disse que tomou essa decisão após perceber que estava no lugar errado. “É como se eu tivesse me encontrado, entende? Agora eu compreendo, por exemplo, porque eu gostei tanto da série Mad Men. Detalhes pequenos da minha vida finalmente se encaixaram e viraram um espelho e, depois de muita procura, eu me vi. Me encontrei”.

Não é a primeira vez que recebo depoimentos como esse, de pessoas que decidiram mudar o rumo das coisas após se encontrarem. É por isso que eu incentivo muito o empreendedorismo. Dos mais de 2000 artigos que publiquei em quase 5 anos de mercado digital, 40% no mínimo foi sobre esse tema.

Não acredito que todos irão empreender. Existe diversidade. Há pessoas que ficarão felizes empregadas em regime CLT, outras que se sentirão realizadas num cargo público. Tudo bem por isso, precisamos de pessoas em diferentes setores da sociedade.

Mas eu acredito que uma mentalidade empreendedora é capaz de transformar a visão de mundo até desses que se sentem bem em outras áreas. Uma pessoa que adora motocicletas, por exemplo, mas que trabalha como repositor de supermercado, ao desenvolver uma mente empreendedora, poderá saber como criar um blog sobre motos.

Então descobrirá como criar conteúdo, formar audiência que se identifica com o tema e depois desenvolver produtos para vender para essa audiência. Ela pode muito bem continuar garantindo um salário como repositor durante o dia e se dedicar ao hobby durante à noite.

Se tudo der certo, após um tempo poderá ganhar mais com essa iniciativa do que com o emprego. E aí valerá dedicar-se integralmente ao que gosta. De maneira geral, nunca incentivo alguém largar o emprego, mas fico feliz quando a pessoa diz que fez isso porque se encontrou. Identifico-me, afinal, larguei o emprego tradicional para viver do que faz sentido para mim.

A vida é muito curta para você viver fazendo uma coisa que não gosta apenas para pagar contas.

Parece papo de palestra motivacional, mas pense em como há sentido nisso. Só há benefícios em formar uma mentalidade empreendedora.

Com a internet, nunca foi tão fácil fazer o que se ama, mesmo que parcialmente. E muitas vezes, para começar você só precisa usar corretamente o seu tempo. Eu tenho dois alunos que são funcionários públicos e dezenas de seguidores que ainda estão empregados. Eles estão se encontrando, mas não estão parados.

E aí está a diferença: se você não se sente realizado, é hora de procurar algo que te complete. Seu espírito começará a perceber os bônus da realização — e você encontrará mais facilmente o caminho.

“Ok, muito legal tudo isso, muito romântico, mas mesmo inconformado, estou paralisado. Não consigo fazer nada além do que me foi mostrado. É tudo muito arriscado.”, pode argumentar alguém mais racional.

Certo, sei que nem sempre é fácil mudar o rumo das coisas, e aí vão alguns pontos para você considerar…

Pare de dar desculpas e comece a mudar sua mentalidade.

É hora de usar sua capacidade para ir de um lugar a outro. Se existe medo, é hora de começar a confrontar esse medo. Se você continuar do jeito que está, onde vai parar? Daqui a 5 ou 10 anos, você estará feliz? Se a resposta for não, é disso que você deveria ter medo.

Se você considera demais o risco, é hora de entender que nada nessa vida é 100% livre de riscos. Você pode sair na rua hoje, tomar um tiro e morrer; pode cair no banheiro, bater com a cabeça na privada e ficar paraplégico. Viver é um risco, cara, e por isso você precisa arriscar mais.

É preciso mapear exatamente qual o tipo de vida que você quer.

Não se empreende apenas pelo lucro. Usando meu exemplo, criei um negócio porque queria ter mais liberdade de tempo, fazer meu próprio sistema de trabalho e viver da minha paixão, que é escrever. Se eu morresse hoje, estaria satisfeito, conquanto algumas metas ainda não foram batidas. Idealize que tipo de oficio e atividade faz ponte com o tipo de vida que você quer ter.

Você deve também criar o hábito de planejar.

Não aprendemos isso na escola, o que é triste. Para sair de um ponto A para um ponto B, é preciso desenhar um mapa. Pegue um papel e uma caneta e escreva onde você está e onde deseja estar. E então trace o que precisa fazer para chegar lá. Revise esse papel sempre, modifique o desenho sempre que for preciso.

Busque o conhecimento necessário para mudar.

Cara, se você não se esforça para ser melhor, sua vida continuará para baixo; sua falta de conhecimento vai te puxar para trás sempre. Que tipo de livro ou curso pode te ajudar a melhorar? Que tipo de post, vídeo ou áudio você pode acessar para assentar um tijolinho na parede da conquista? Faça do consumo de informação e da obtenção de conhecimento um hábito na sua vida. Sem isso, nada feito. Repito: sem isso, nada feito.

Ande com os bons.

Aqui está também algo transformador: siga quem é melhor do que você, conviva com pessoas melhores. Há espíritos mais elevados que o seu, mentes mais desenvolvidas que a sua. Se você não admitir isso e não começar a se portar com humildade diante de pessoas melhores — e se não parar para ouvi-las e considerar o que elas dizem — você estará agindo como a maioria, ignorando a sabedoria e a inteligência elevada.

Aja como se já tivesse sucesso

Por fim, comece a agir como se já tivesse a vida que você sonha. Se seu desejo é dar aulas de filosofia online, aja como se já fosse um filósofo conhecido na web e que as pessoas desejam ter como professor. Se seu desejo é ser reconhecido com seu talento de tocar guitarra, comece a agir como se as pessoas te conhecessem, já quisessem ir aos seus shows ou te contratar. Esse exercício vai fazer sua mente assimilar seu futuro e você estará cada vez mais perto do objetivo.

Essas são alguns insights que podem ajudar você a ir de um lugar a outro.

Agora você tem dois caminhos…

1). Sair deste post e continuar vendo memes de gatinhos no Facebook ou no YouTube e participar de tretas de política sem mudar absolutamente nada da vida que você leva.

2). Sair deste post, colocar em prática o que passei, desenvolver uma mentalidade empreendedora e começar a agir como alguém que não se conforma com o que vive, mas age diferente para ter a vida que quer.

Tome a decisão. Hoje.

Lembra do rapaz que cito no começo do post? Por fim, ele disse: “Eu tomei a decisão. Eu prefiro fazer qualquer coisa…vender água, din-din na rua…mas não quero ser empregado nunca mais”.

Esse tipo de pessoa corajosa recebe da vida alguns prazeres que quem se acostuma a não correr riscos não recebe. O segredo está na mentalidade empreendedora, acessível a qualquer um.

PS.: Há pessoas além de você precisando ler isso e se despertar para uma mentalidade empreendedora. Compartilhe a mensagem com elas.

About Paulo Maccedo

Paulo Maccedo é escritor best-seller, profissional de marketing e copywriter. Além de escrever livros, trabalha ajudando empreendedores a influenciar pessoas e construir negócios mais lucrativos usando o poder das palavras.

Esta postagem tem 2 comentários

  1. Forte mensagem! Eu decidi sair do emprego em outubro de 2016, sou redator freelancer e já atendi centenas de clientes. Gostei muito do seu blog Paulo, certamente, é um exemplo para mim. Estou repaginando meu blog para ir conquistando a autoridade perante um determinado público na internet. Abraço!

    1. Obrigado, Kenady!
      Siga em frente. O mercado é bom. Se fizer um excelente trabalho, colherá os frutos. Sucesso, mano!

Deixe uma resposta

Fechar Menu