Valor antes, venda depois

hand

Hoje li o capítulo 3 de Ciência da Propaganda…

Claude Hopkins cita casos de várias empresas que davam amostras grátis aos potenciais clientes para despertar neles o senso de reciprocidade. Como resultado, as pessoas compravam para retribuir a gentileza.

“Lembre-se de que as pessoas são egoístas, como todos nós somos. Elas não se importam com o seu interesse ou seu lucro. Elas procuram o serviço para si. Ignorar esse fato é um erro comum e caro na publicidade. Os anúncios dizem, com efeito: “Compre a minha marca. Dê-me o negócio o que você dá a outras pessoas. Deixe-me ter o seu dinheiro”. Esse não é um apelo popular.”

Em psicologia social, reciprocidade refere-se a responder uma ação positiva com outra ação positiva.

É disso que Hopkins está falando, e isso é muito mais eficiente que apenas exigir a compra.

Curioso como quase 100 anos depois e muitos de nós ainda ignoramos isso. 

Esquecemos facilmente que é mais fácil gerar valor antes e vender depois.

“Muito menos erros seriam cometidos na publicidade se esses fatos nunca fossem esquecidos”, completa o pai do copywriting.

Após a leitura, fiquei pensando no que mais posso fazer para despertar em meus potenciais clientes o senso de reciprocidade.

E você, o que pode fazer para que isso não seja mais ignorado?

Que tipo de gentileza pode ser feita antes da venda?

Tudo o que você precisa saber para gerar mais tráfego, mais leads e mais vendas usando o poder da persuasão e copywriting!

Paulo Maccedo

Paulo Maccedo

Analista de marketing, copywriter de resposta direta e escritor best-seller. É autor do que é considerado o livro sobre copywriting mais completo em língua portuguesa. Carioca, casado com a Patricia, pai do Peter e do Benício. Nas horas vagas, é ouvinte de boa música, fazedor de churrasco, mergulhador em literatura clássica e entusiasta de motocicletas.
Paulo Maccedo

Paulo Maccedo

Analista de marketing, copywriter de resposta direta e escritor best-seller. É autor do que é considerado o livro sobre copywriting mais completo em língua portuguesa. Carioca, casado com a Patricia, pai do Peter e do Benício. Nas horas vagas, é ouvinte de boa música, fazedor de churrasco, mergulhador em literatura clássica e entusiasta de motocicletas.

Deixe uma resposta

Quem gostou deste artigo leu um desses

Fechar Menu