Trabalhar na internet – Como transformar o desejo em realidade

Trabalhar na internet – Como transformar o desejo em realidade

Hoje eu desafio o mundo sem sair da minha casa – O Rappa

Há cerca de 4 anos, eu ainda era diretor de uma pequena empresa de comunicação quando comecei a me interessar pelo marketing digital

Enquanto mantinha o meu emprego na empresa durante o dia, lia posts e assistia vídeos de empreendedorismo à noite e nas horas vagas.

Devidamente motivado, a fim de dar o primeiro passo na indústria promissora, mudei a abordagem de um site que administrava e comecei a escrever sobre o tema empreender.

Tateando no escuro, não gerei resultados financeiros de imediato, mas descobri como “entrar com os dois pés” no mercado digital.

O “estalo” se deu quando me deparei com a informação de que poderia trabalhar na internet com a minha habilidade em escrita, e assim, ganhar dinheiro com o que gostava de fazer.

Foram suficientes apenas alguns meses para que eu abandonasse o meu cargo de diretor e começasse a redigir textos para blogs.

Me tornei um redator freelancer. Todo o meu planejamento de negócio teve como base estratégias de marketing digital: conteúdo, blog, mídias sociais, etc.

Foi nesse contexto que eu consegui me consolidar neste mercado que atrai uma multidão de novos empreendedores todos os dias.

O meu objetivo era apenas conseguir lucro suficiente para viver bem, sem precisar estar num escritório, cumprir escala, ter carteira assinada, e o melhor, vivendo daquilo que amo fazer.

Com apenas um notebook e conexão banda larga, passei a escrever de 5 a 10 artigos por dia. Hoje, posso atender pessoas de todo o Brasil e do mundo.

Criei o meu próprio estilo de trabalho.

Mas, será que eu consegui isso por causa de sorte? Será que eu sou um dos poucos privilegiados de participar desse novo estilo de economia? Será que todos podem fazer o mesmo? Vou te dar algumas respostas neste post.

Mas antes, um aviso: Esse artigo não é um “mapa do sucesso”, nem uma “fórmula mágica”. Ele é um manual prático baseado em minha experiência como empreendedor digital. A leitura é recomendada para quem deseja fazer algo sério e lucrativo. Se você se encaixa nesse perfil, pode cortar caminho por aqui e depois continuar a leitura!

Como eu consegui transformar em realidade o desejo de trabalhar na internet

A possibilidade de trabalhar em casa, escapando do trânsito e do chefe chato, podendo desfrutar da liberdade de fazer seu próprio tempo, norteava o meu maior desejo profissional. Como é de se imaginar, cometi muitos erros. Apesar da mínima experiência em negócios, trabalhar na internet era algo totalmente novo para mim.

Mas apesar dos desafios, já no primeiro mês trabalhando como redator cerca de duas a três horas por dia, consegui ganhar o mesmo que eu recebia no meu antigo emprego.

Esses ganhos foram soma de três projetos fechados no Workana, plataforma de trabalhos freelancers. Explicando melhor, no período de 30 dias, faturei cerca de 1500 reais somente escrevendo artigos – um valor pequeno, mas relativamente expressivo para quem começou literalmente do zero.

Esse pontapé inicial foi determinante para o ingresso no mercado digital. Com a aprovação dos trabalhos e a satisfação dos clientes, tive base para oferecer meus serviços de forma mais segura, já que agora tinha o mínimo de resultados. Isso me dá base para começar a destrinchar a estratégia que usei para trabalhar na internet.

As primeiras táticas executadas foram as seguintes:

#1. A escolha do nicho: Identifiquei um mercado em potencial com alta demanda e ainda poucos profissionais. Escolher um nicho é muito importante.

Não basta apenas identificar aquilo que é lucrativo, a coisa tem que fazer sentido para você. No meu caso, eu percebi que a demanda por redação freelancer convergia com aquilo que eu gostava de fazer: escrever.

#2. Alinhamento de trabalho à paixão: Percebi que produzir conteúdo “não seria tão difícil” para mim, pois já escrevia desde os 15 anos e já tinha até um livro independente publicado.

Essa é uma das coisas que aprendi com o Pedro Quintanilha, no Workshop ME. Em seus conteúdos ele sempre cita essa coisa de empreender com aquilo que você gosta ou ama. Depois que ouvi isso dele, ficou claro para mim o que deveria fazer.

#3. Preparação: Antes de definitivamente vender o meu serviço como redator, passei cerca de dois meses estudando tudo o que pude sobre marketing de conteúdo.

Um erro comum em quem pensa em trabalhar na internet é não se preparar devidamente. Defendo que você pode começar com o que tem, mas isso não significa fazer tudo às cegas. É preciso se informar (falarei mais sobre isso aqui).

Por que o empreendedorismo digital?

O empreendedorismo digital nada mais é que o empreendedorismo aplicado na internet. São estratégias de negócios voltadas ao desenvolvimento de modelos lucrativos em canais virtuais, como sites, blogs, redes sociais, e-mails, entre outros.

O empreendedorismo na internet é fascinante porque possibilita trabalhar para si mesmo, em casa ou de qualquer outro lugar, fazendo o próprio horário e garantindo bom retorno financeiro.

Diariamente, centenas de novas plataformas são lançadas na rede com o objetivo de atender demandas, ajudar pessoas e gerar lucro para seus idealizadores. Indivíduos de todas as idades enxergam a oportunidade de crescer e se destacar no ambiente digital.

Quando percebei que ter presença digital, se posicionar no mercado e conquistar uma audiência fiel se tornava mais tangível com uma boa estratégia de conteúdo, fiquei super animado. Nesse caso, eu decidi usar o que sabia sobre marketing de conteúdo para promover a minha própria marca, e assim, me posicionar como especialista na área.

Veja agora como eu fiz isso na prática.

#1. Criei um blog (Posicionamento)

Minha primeira estratégia foi criar um blog para falar sobre técnicas de marketing de conteúdo (o embrião deste que você está lendo). Isso foi muito bom para o meu desenvolvimento como redator e também como empreendedor. Aprendi a usar o SEO (para que o conteúdo fosse encontrado) e a criar bons títulos. Os meus artigos publicados também eram usados para fazer minha própria divulgação, uma espécie de “portfólio dinâmico”.

Se você não tem, ou dispõe de pouca grana, pode começar a trabalhar na internet com um blog simples, apenas para divulgar seus serviços e produtos. Para descobrir como fazer um blog, assista tutoriais, leia artigos, faça cursos, enfim, existem diversos materiais gratuitos que podem lhe auxiliar.

Só esteja atento ao seguinte: Não dependa de um domínio e de hospedagens grátis, pelo menos não por muito tempo. O ideal é providenciar planos profissionais para o seu site ou blog. De preferência, na hora de registrar o domínio, escolha um nome simples e “fácil de pegar”. Eu escolhi usar o meu próprio nome como domínio: www.paulomaccedo.com

Se você tiver alguma grana para começar, também pode terceirizar o trabalho de algum desenvolvedor para criar o seu blog. Assim você ganha tempo. Se você tem mais tempo que dinheiro, pode aprender a fazer. Mas se tem mais dinheiro que tempo, o ideal é contratar serviços de terceiros mesmo.

#2. Formei network (Parcerias)

A segunda coisa que fiz foi formar network. Sempre achei importante ser um profissional agradável e saber cultivar amizades. Trouxe isso para o meu trabalho no digital. Se você fizer algo relevante e souber agradar os seus clientes, elas não hesitarão em lhe indicar para outras pessoas, e isso, é maravilhoso.

Com uma boa rede de amigos e parceiros, a coisa se torna mais relevante. Esta é uma das grandes táticas para conseguir trabalhar na internet, de casa, e crescer na carreira de empreendedor digital. Até hoje, grande parte dos projetos que fecho são indicações de clientes que eu já atendi ou de parceiros de profissão.

Brendon Burchard costuma dizer que a formação de parcerias é um dos maiores pilares para a criação de um negócio digital. Quanto mais pessoas você conhecer, mais as chances de conseguir as coisas mais rápidas. Nesse contexto, aqui vai um grande conselho: se relacione bem com as pessoas. Sempre.

É o que diz a velha máxima: faça com os outros o que você quer que seja feito com você. Não é agir com falsidade e interesse, nada disso. Trata-se de plantar o certo, para colher o correto. Trabalhe com honestidade e integridade, e terá amigos a longo prazo.

#3. Investi em conhecimento

Eu sempre fui um cara curioso, buscando constantemente saber mais sobe aquilo que é relevante para o meu crescimento. Nunca parei de estudar, mesmo que informalmente. Sempre investi em livros (digitais e impressos), em cursos online e treinamentos.

O motivo de eu colocar o investimento em conhecimento fora da ordem, foi intencional. Para te mostrar que nunca se deve parar de aprender. O meu conselho é que você invista em conhecimento e habilidades, pois isso com certeza vai te ajudar a cortar caminho e ser mais certeiro na hora de criar o seu negócio e trabalhar na internet.

O ideal é escolher um método que te ajude de verdade a construir um negócio relevante. Muitos cursos de internet marketing são rasos e não focados em execução. Por isso escolha bem os treinamentos que fizer. Que eles sejam bem estruturados e te deixem pronto para fazer acontecer.

No meu caso, além dos livros de empreendedorismo, eu usei muitas coisas que aprendi no Workshop ME.

#4. “Identifiquei e criei”

Aqui destaco que trabalhar na internet como um especialista exigirá de você fundamentalmente duas tarefas principais:

#1. Se identificando com sua audiência para ganhar sua confiança e entender suas necessidades e ambições.

#2. Criar informações, conteúdos e produtos práticos e úteis que agreguem valor a audiência e lhe ensine a ter uma vida ou um negócio melhor.

Essa é, essencialmente, sua função em tempo integral.

Faça isso com o seguinte pensamento:

Se você criar um valor incrível e fornecer informações que podem mudar a vida de outras pessoas – e sempre manter o foco sobre o serviço – o sucesso financeiro virá como consequência. – Brendon Burchard

No meu caso, eu sempre me conectei com duas audiências específicas: produtores de conteúdo e empreendedores digitais. Todo o meu conteúdo, desde o começo, sempre foi direcionado a esses dois públicos.

Com o tempo, eu fui descobrindo o que poderia vender para eles. No caso de produtores de conteúdo, ofereço os meus livros e serviços, bem como cursos e treinamentos de outros especialistas que eu gosto e que sei que irão ajudá-los com suas necessidades. Aos empreendedores, ofereço principalmente meus serviços de marketing de conteúdo.

#5. Comecei com o que já tinha

Comece onde você está, use o que você tem e faça o que você pode. – Desconhecido

Isso aqui é realmente uma grande sacada para você sair de onde está agora e começar a trabalhar na internet.  Ter dinheiro para começar um negócio é importante, mas não é a única coisa. Como assim? Existem outros tipos de capitais que você talvez você nem saiba que existem, que podem te ajudar a “sair do zero.” Veja:

#1. Capital de tempo – Seu tempo é um bem precioso e se você souber aplicá-lo, conseguirá alcançar seus resultados mais facilmente.

#2. Capital de redes – Pessoas que você conhece, conexões e parcerias que pode fazer, compradores e sistemas que pode acionar para fazer a coisa andar.

#3. Capital intelectual – Inteligência (sua ou de terceiros). Programas, softwares. Acesso a ideias.

#4. Capital físico – Fábrica, maquinários, ferramentas, veículos.

#5. Capital de prestígio – Sua reputação, autoridade, visibilidade.

#6. Capital de instigação – O desejo ardente de seguir em frente. A capacidade e a coragem de dizer “sim”.

Interessante, não acham? No meu caso, eu comecei usando principalmente os três primeiros e o sexto: capital de tempo (usei os tempos livres para executar), capital de redes (veja o segundo tópico do artigo), capital intelectual (minha habilidade em escrita e o meu conhecimento em marketing), e o capital de instigação ( a vontade de fazer acontecer).

Provavelmente você já tem alguns desses recursos em mãos. Isso significa que você pode começar agora…

Conclusão (não definitiva) sobre trabalhar na internet

Meu objetivo com este post foi te mostrar que as coisas não são tão complexas quanto parecem. Se eu consegui planejar e executar o meu trabalho na internet, você também consegue. Basta ter o conhecimento e as habilidades certas. Meu último conselho é que você fuja de “fórmulas milagrosas” e decida realmente empreender com algo que faça sentido para você.

Minha última consideração: a abertura do mercado digital dá margem para uma atuação desleixada e frenética na busca do ouro e muitos vão tentar fazer negócios “pelas coxas”. Eu acredito e defendo que todos podem empreender, mas costumo dizer que nem todos irão.

Existe uma grande diferença. Muita gente começar a trabalhar na internet da forma errada, pelo motivo errado, e “morrem” nos primeiros meses. E ainda fazem campanha negativa com base em suas frustrações pessoais. Não há preocupação com a qualidade, a relevância e a honestidade.

Por isso o mercado de internet marketing está com o filme queimado, prostituído, modelado e replicado de forma irrelevante. O aumento da conta bancária é o foco de muitos amadores que se dizem empreendedores digitais, que defendem a existência de atalhos para o sucesso.

Portanto, meu primeiro conselho: fuja disso. Não seja apenas mais um mercenário querendo crescer sem produzir algo de valor. Use a internet para fazer um trabalho que agregue valor na vida de outras pessoas. Seja um empreendedor de verdade!

PS.: Para conhecer o curso citado, o Workshop Me, clique aqui!

Paulo Maccedo

Paulo Maccedo é autor de livros sobre marketing e criação de riquezas e copywriter de resposta direta. Escreveu 2 livros best-sellers sobre escrita persuasiva, um deles, considerado o livro mais completo sobre copy do mercado brasileiro. Carioca, casado, pai do Peter Gabriel, gosta de rock, churrasco e literatura.

Este post tem 4 comentários

  1. Amei o post, muito bom. O seu jeito de abordar ficou muito bacana, adoro dissertar deste assunto também. Siga esta linha e tenha sucesso. Cordialmente

  2. Começar com o que já temos foi uma excelente dica, pois às vezes ficamos imaginando o que iremos apresentar ao público em matéria de novidades e esquecemos de dar valor ao que já sabemos. Muitas vezes o que é óbvio para nós pode ser a grande dúvida do próximo.
    Adorei sua abordagem!

Deixe uma resposta

Fechar Menu