A obra essencial de David Ogilvy

A obra essencial de David Ogilvy

Há algum tempo alguém me falou sobre David Ogilvy.

O nome, que até então era desconhecido para mim, viria a me despertar algo incrível nos próximos meses.

De início, achei interessante a forma como algumas pessoas falavam dele, com carinho, admiração, inspiração.

Isso me fez encarar a necessidade de saber mais sobre a figura icônica, que agora parecia me perseguir.

A cada pesquisa dedicada na internet, acabava lendo novos comentários sobre sua forma magistral de escrever e fazer publicidade.

As informações sobre ele me abriram a visão sobre o que ele representa para o marketing e para os negócios.

“Por que a Revista Time o chamou David de O Mago mais Procurado da Indústria de Publicidade?” – Indaguei.

Como um garimpeiro, cavando em busca de mais do ouro, acabei encontrando um tesouro inestimável na forma de pensar de David Ogilvy.

Li uma parte dos artigos americanos e nacionais dedicados a ele, tomei nota de dezenas de citações, absorvi dicas maravilhosas sobre escrita e pensamentos estratégicos e, quando estava totalmente atraído por sua mensagem, conheci o livro:

“Confissões de um Publicitário”.

Acessei a Amazon para verificar a disponibilidade, fiz a encomenda e, quando o livro chegou em minhas mãos, o devorei em pouco mais de uma semana.

Inclui na lista de títulos favoritos, e comecei a usá-lo como uma espécie de manual de consulta.

O que “Confissões de Um Publicitário” tem de tão valioso?

confissões de um publicitário

A obra é baseada nos anos que David Ogilvy viveu na Madison Avenue como um desconhecido, na déada de 1960.

Naqueles tempos ele já dirigia uma das melhores agências de propaganda do EUA e era um dos publicitários mais criativos das Américas.

Em Confissões de um Publicitário, ele relata como conseguiu tudo isso, e que conhecimentos e experiências obteve a partir do relacionamento com os clientes.

Ogilvy aborda diferentes assuntos sobre a psicologia do consumidor, revelando pensamentos que o levaram ao status de “estrela da comunicação”.

Muito do que encontrei no livro eu tento aplicar em meu trabalho com o marketing.

Apesar de o cenário que atuo ser um tanto diferente, tenho a oportunidade de elevar ainda mais a qualidade do que escrevo com os ensinamentos universais tratados na obra.

O livro não se limita somente a escrita, abordando diferentes assuntos como, histórias interessantes do setor, encontros com pessoas famosas e autoajuda (no melhor sentido do termo).

Mas o que mais me marcou foi sua forma única de ensinar criatividade. O que pode ser consolidado nos casos de clientes, como GE, Dove, Pepsi, Fedex, Frito-Lay, EUA (Turismo), Dupont, Visa, Mars, Sopas Campbell, Schweppes, Ronald Reagan, entre outros.

Em “Confissões de um Publicitário”, você tem a chance de aprender:

Confissões de um Publicitário

– Como administrar uma agência de publicidade

– Como conquistar clientes

– Como manter clientes

– Como ser um bom cliente

– Como fazer grandes campanhas

– Como escrever anúncios poderosos

– Como ilustrar anúncios e cartazes

– Como fazer bons comerciais de televisão

– Como atingir o topo da carreira (conselho aos jovens)

– A publicidade deveria será abolida?

Citações interessantes no livro:

Confissões de um Publicitário

Tamanho do texto:

Se você está anunciando um produto que tem muitas e diferentes qualidades, escreva um texto longo. Quanto mais você diz, mais você vende.

Qualidade:

Um bom texto não pode ser escrito de má vontade, apenas como forma de ganhar a vida. Você tem que acreditar no produto.

Trabalho duro:

Admiro pessoas que trabalham duro, que enfrentam a batalha. Desteto os passageiros que não trabalham para carregar o próprio peso no barco.

A importância de vender o que se produz:

 No mundo moderno dos negócios é inútil ser um pensador criativo e original, a menos que você também saiba vender o que cria.

Parceria entre redator e cliente:

A maioria das campanhas que levaram marcas à fama e à fortuna surgiu da parceria entre um redator talentoso e um cliente inspirador.

Normas:

As normas existem para a obediência dos tolos e a orientação dos sábios.

Ética criativa:

Nunca escreva um anúncio que você não gostaria que sua família lesse. Você não contaria mentiras para a sua própria esposa. Não conte para a minha.

Recrutamento:

Estou à caça de cavalheiros com cérebro.

“Uma vez vendedor, sempre vendedor”

Confissões de um Publicitário

Para fechar, compartilho uma das coisas que mais me marcou no livro…

Ogilvy abre o livro “Confissões de um Publicitário” com a frase:

“Uma vez vendedor, sempre vendedor”.

Assim como eu, ele foi da área de vendas.

Teve experiência como representante de uma empresa de fogões ainda na Escócia, levando isso para o seu processo de criação.

Usou toda a sua experiência em vendas diretas na área de publicidade.

Ele aconselhava seus homens a escreverem anúncios que vendiam e não que pensassem em ganhar prêmios.

Enfim, “Confissões de um Publicitário” realmente se tornou um dos meus livros de cabeceira.

E por isso não poderia deixar de falar sobre ele aqui.

Se eu fosse você não deixaria de ler, por nada.

Para saber mais sobre a obra, basta acessa este link!

PS.: A única coisa que você vai perguntar após a leitura é: por que eu nunca li esse livro antes?

About Paulo Maccedo

Paulo Maccedo é escritor best-seller, profissional de marketing e copywriter. Além de escrever livros, trabalha ajudando empreendedores a influenciar pessoas e construir negócios mais lucrativos usando o poder das palavras.

Deixe uma resposta

Fechar Menu