O poder do engajamento social: como usar este ativo em sua estratégia de marketing

engajamento

Recentemente a Adidas disse que vai deixar de investir na televisão para focar nos canais digitais. A marca acredita que a televisão não envolve mais o consumidor. O CEO da empresa afirmou que “não há mais publicidade na tevê” e o público-alvo no curto e médio prazo irá se envolver muito mais através dos dispositivos móveis.

Isto, segundo ele, acaba por entregar um ativo fundamental para o seu objetivo de negócios: o engajamento. 

A marca está reestruturando toda sua presença digital, investindo pesado em impressão em 3D e em novos métodos de criação de produtos. Cerca de 25 influenciadores digitais, entre treinadores e blogueiros, foram contratados para impulsionar a presença da marca no mercado esportivo.

A empresa está dedicando quase metade do orçamento de marketing em parcerias, enquanto a outra parte está sendo direcionada para ativações digitais.

O que me chamou a atenção nessa notícia foi a fala do chefe executivo reconhecendo a importância do engajamento.

Ele está certo.

Engajamento é um ativo poderoso para quem faz negócios na internet. É algo que está além do número de seguidores ou curtidas em um post no Facebook. Trata-se de interação, envolvimento, influência, intimidade, relacionamento com marca.

Se você souber engajar as pessoas, conseguirá, efetivamente, alcançar mais resultados em seu negócio. Mas o que seria engajamento exatamente? E como engajar pessoas efetivamente? A resposta está nas próximas linhas…

O que é engajamento social

O engajamento social se relaciona com quanto o público participa, comenta e se mobiliza em torno da marca através da presença online. Brian Haven, estudioso de marketing e CSO da iCrossing, em 2017, definiu bem o que seria engajamento a partir de 4 fatores:

1 – Envolvimento – Pode ser medido por meio de métricas comuns, como número de visitantes, tempo de permanência numa página, número de páginas visitadas, etc.

2 – Interação – Comentários, discussões em fóruns, pedidos de informações sobre a empresa, enfim, ações do usuário em entrar em contato com a marca de alguma forma.

3 – Intimidade – O afeto de uma pessoa pela marca. Pode ser caracterizada pela opinião, perspectiva, sentimentos registrados em suas palavras dirigidas à empresa através dos canais digitais.

4 – Influência – Aqui se considerada a probabilidade de a pessoa chegar à conversão, ou seja, fazer uma compra e influenciar seu grupo de contato a fazer o mesmo.

Um exemplo de como funciona o engajamento social na prática:

Após ser atraído por um conteúdo no Facebook (envolvimento), a pessoa procura e segue a marca em seus canais digitais, como blog e fanpage (interação), comenta em posts, faz alguns questionamentos sobre a marca nestes canais, expressa alguma opinião sobre ela (intimidade). Após consumir novos conteúdos ou comprar o produto, passa a recomendá-la aos amigos (influência).

Por que investir em engajamento?

Porque consumidores engajados compram mais

Estudos feitos pelo Google e a Advertising Age com consumidores, profissionais da área de marketing e meios de comunicação apontaram números interessantes:

Enquanto 9,8% dos consumidores engajados e 40,2% dos hiperengajados compram um produto online diversas vezes por semana, apenas 8,1% dos consumidores que evitam o engajamento online compram com a mesma frequência.

Além disso, os hiperengajados, que representam 15,5%, compram um produto online todo dia, o que prova que ter uma estratégia para incentivar e gerir o engajamento de uma empresa na internet é essencial para o aumento das vendas.

Porque se conquista mais adeptos

Pessoas hiperengajadas estão mais propensas a se inspirar e interagir com a marca em diversos canais.

De acordo com as pesquisas, 41,8% ficam inspiradas a se envolver com a empresa graças à qualidade do site, 29,5% devido à presença nas redes sociais e 26,7% ficam inspirados com anúncios online. Isso sugere que as marcas podem se beneficiar ainda mais se canais diferentes trabalharem juntos.

As pesquisas ainda afirmam o poder das recomendações diretas (o que pode ser entendido como prova social). Entre os usuários que afirmaram que as “recomendações de pessoas que conheço” servem como fonte de inspiração para o engajamento com uma marca, 61,6% são engajados, 56,6% hiperengajados e 37,8% tradicionalistas.

Como gerar engajamento por parte do público?

Existem diversas formas de fazer isso hoje, mas todas elas dependem, direta ou indiretamente, da produção de conteúdo. Somente criando conteúdo de qualidade é que você consegue levar o usuário à interação.

No entanto, para que a coisa funcione bem, é preciso pensar em alguns fatores, como:

Estratégia bem fundamentada

Sua estratégia de conteúdo foi feita pensando no cliente? A formação de uma linha editorial e no tom de voz usado pode influenciar muito na conquista de resultados. Costumo dizer que o ideal é trabalhar com um único universo de conteúdo em torno de um assunto e trabalhar muito bem ele. Existem três pilares que vão te ajudar nisso:

#1. Definição de um tema central, pelo qual seu público é apaixonado (negócios, artesanato, esportes);

#2. Concentração e foco nesse assunto;

#3. Transmitir a mensagem com autoridade, tratando do tema melhor do que ninguém.

Se você não tem uma estratégia de conteúdo de resultados ainda, vamos conversar!

Posicionamento da marca

Al Ries diz que são as ideias que estão na cabeça das pessoas que determinam se um produto terá sucesso ou não. Ele destaca que marketing é uma guerra mental, e se posicionar bem no campo de batalha é essencial. O engajamento do seu público também depende da forma como você se posiciona no mercado.

É o posicionamento que garante que consumidor obtenha as respostas que precisa através de um conteúdo. Nesse contexto, sua empresa deve gerar aquilo que o cliente em potencial precisa e busca. Assim, ele terá a propensão de interagir, comentando, compartilhando, enfim, respondendo aos estímulos gerados por sua marca.

Consistência nas publicações

Há duas definições para o termo consistência que cabem perfeitamente aqui:

1 – Qualidade daquilo que é definido por sua firmeza ou resistência.

2 – Regularidade; em que há perseverança.

Seus resultados dependem de uma linha de publicação de conteúdo que seja firme, bem amarrada e regular, ou seja, que seja recorrente. Adotando esses dois pilares da consistência, unindo com o que já explorei aqui, você estará a alguns passos de engajar mais as pessoas no ambiente digital.

Atendimento ao cliente

É preciso continuar o trabalho iniciado com o conteúdo no setor de atendimento, dando a devida atenção às pessoas, respondendo aos comentários, indicando soluções, participando de fóruns, enfim, estreitando ao máximo a relação com quem interage com você online.

Isso irá servir para incentivar os usuários a se tornarem clientes de fato, a fidelizar quem compra com você e a influenciar a divulgação de sua empresa por parte de quem já comprou para outras pessoas.

Enfim, para garantir o engajamento, é preciso analisar o real grau de envolvimento, interações e influência que o seu marketing de conteúdo provoca nos indivíduos que têm contato com ela. Se você souber engajar, conseguirá efetivamente alcançar mais resultados para o seu negócio.

PS.: Gostou desse conteúdo? Cadastre-se em minha lista de contatos e receba muito mais com exclusividade.

PPS.: Compartilhe o artigo com seus amigos pelo Facebook, LinkedIn e Twitter.

Tudo o que você precisa saber para gerar mais tráfego, mais leads e mais vendas usando o poder da persuasão e copywriting!

Paulo Maccedo

Paulo Maccedo

Analista de marketing, copywriter de resposta direta e escritor best-seller. É autor do que é considerado o livro sobre copywriting mais completo em língua portuguesa. Carioca, casado com a Patricia, pai do Peter e do Benício. Nas horas vagas, é ouvinte de boa música, fazedor de churrasco, mergulhador em literatura clássica e entusiasta de motocicletas.
Paulo Maccedo

Paulo Maccedo

Analista de marketing, copywriter de resposta direta e escritor best-seller. É autor do que é considerado o livro sobre copywriting mais completo em língua portuguesa. Carioca, casado com a Patricia, pai do Peter e do Benício. Nas horas vagas, é ouvinte de boa música, fazedor de churrasco, mergulhador em literatura clássica e entusiasta de motocicletas.

Este post tem 4 comentários

  1. Avatar

    Fantástico o seu artigo, legal trazer essa informação e essa análise para a galera, e é uma pena pensar que a maioria das empresas ainda está longe de pensar assim hoje em dia.

    Vejo tanto profissionais como empresas, fazerem sempre mais do mesmo, falta mesmo é inovação e pensamentos laterais, mas essa é só a minha humilde e modesta opinião. 😉

  2. Paulo Maccedo
    Paulo Maccedo

    Fala, meu amigo Samuel!

    Fico feliz que tenha gostado.
    Tenho procurado usar o poder do engajamento em minhas estratégias.
    Estou comprovando a eficácia. A coisa é forte. rs

    Sobre o que você falou, das empresas, concordo.
    O mercado ainda desconhece muitas coisas.
    Mas trabalhos como os nossos ajudarão o mercado a se educar.

    Vamos juntos. Abraços!

  3. Avatar
    Pablo

    Sempre excelentes textos no seu blog, Paulo! Parabéns!! Muito bom!!

    1. Paulo Maccedo
      Paulo Maccedo

      Fala, Pablo!
      Obrigado, mano.
      Sua opinião é importante.
      Grande abraço!

Deixe uma resposta

Quem gostou deste artigo leu um desses

Todos os direitos reservados 2020