Dale Carnegie: Como se comunicar bem e influenciar pessoas no universo digital

Dale Carnegie: Como se comunicar bem e influenciar pessoas no universo digital

Quando o homem se mostra incapaz de dizer claramente aquilo que deseja, seja por nervosismo, por timidez ou por obscuro processo de raciocínio, sua personalidade se anula, se ofusca ou se confunde.

Os resultados na vida social e nos negócios dependem grandemente da sua capacidade de comunicar aos seus semelhantes aquilo que você é, o que sente e o que acredita. Hoje, em um ambiente tão poderoso como a internet, mais do que nunca precisamos saber nos comunicar bem, e, quando se trata de negócios, esta comunicação também precisa ser influente.

Nada melhor do que aprender isso com quem passou a vida se dedicando ao assunto. Dale Carnegie é considerado um dos maiores comunicadores do século XX. Se destacou como especialista em oratória e como escritor, tendo lançado diversos best-sellers em vida. Nas próximas linhas, trago algumas lições importantes ensinadas por ele para você se comunicar bem, produzir conteúdos fantásticos e influenciar pessoas no universo digital. Acompanhe!

#1. Seja apaixonado pelo seu tema

Em quase todos os assuntos, você será salvo pela sua paixão por eles.

Você só vai adquirir a atenção do público de forma plena, quando ele perceber que há uma chama acesa naquilo que você comunica. Leve isso a sério na hora palestrar, gravar um vídeo, escrever um artigo para o seu blog, etc. Você deve ser falar sobre que você é apaixonado. Isso não será difícil de conseguir se você já trabalha com o que ama.

Carnegie explica o seguinte: “Quando o homem coloca o coração no que diz, seu eu verdadeiro vem à tona. As barreiras caem. O calor de suas emoções faz com que elas se dissolvam. Tal homem fala e age espontaneamente. Ele está ao natural.”

#2. Use ilustrações e exemplos

Somente as histórias predispõem à leitura.

Há algo em comum entre o orador nato e o escritor impactante: Saber contar uma boa história. Dale Carnegie deixa isso claro em “Como falar em Público e Influenciar Pessoas no Mundo dos Negócios”. Ele explica que as pessoas estão mais propensas a absorverem a mensagem quando histórias são usadas.

Contar algo relacionado ao seu passado, utilizar exemplos reais de histórias vivenciadas por você, usar cases de clientes satisfeitos com seu produto ou serviço, aplicar analogias com fatos vividos podem ser uma ótimas formas de cativar e influenciar o público.

#3. Use palavras familiares que criem imagens

O orador que se ouve com fidelidade é aquele que faz com que imagens flutuem aos nosso olhos.

Carnegie cita Herbert Spencer, no famoso ensaio sobre “A Filosofia do Estilo” para explicar sobre a superioridade dos termos que produzem imagens brilhantes: “Não pensamos em generalidades, mas em particularidades.” Frases que formam imagens enchem as páginas da Bíblia e das obras de Shakespeare, como abelhas em torno de um alambique de cidra. Por exemplo, um escritor de lugares comuns teria dito que a coisa certa seria “supérflua”, procurando melhorar o perfeito. Shakespeare expressou o mesmo pensamento com uma frase que se tornou imortal: “Dourar o ouro polido, colorir o lírio, perfumar a violeta.”

Repare como os provérbios que passam e geração em geração são visuais: “Mais vale um pássaro na mão do que dois voando”, “Podemos levar um cavalo até o bebedouro, mas não podemos obriga-lo a beber”, “Duro como uma pedra”, etc. Há imagens mentais em todos eles. Leve isso para sua produção de conteúdo e pinte telas na mente dos seus leitores.

#4. Seja específico

Faça com que os apelos à vista sejam definidos e específicos.

Os grandes copywriters conhecem bem o poder da especificidade. Dale Carnegie já falava sobre isso no século passado. Ele aconselha a evitar os termos amplos e a usar palavras explícitas. Um “cão parrudo de raça” é muito mais amplo que um “buldogue”. Veja como o segundo transmite mais clareza como é o cão.

Em “The Elements Of Style”, William Strunk Jr. afirma: “Todos aqueles que estudaram a arte de escrever estão de acordo em um ponto, a saber: A maneira mais segura de despertar e prender a atenção do leitor é ser específico, definido, concreto. Isso é tão verdadeiro ao falar como ao escrever.”

#5. Tenha em vista os interesses do leitor

Pergunte a si mesmo como o seu assunto ajudará a resolver os problemas dos seus ouvintes e o fará alcançar seus objetivos.

Se você for um contador e começar escrevendo algo como “Vou te mostrar como economizar de 100 a 200 reais em seu imposto de renda” é certo que atrairá a atenção do público. Trazendo para o contexto do marketing, as pessoas querem saber sobre como o seu produto pode ajudá-las com os problemas delas. Seu conteúdo tem a função de ajudar a resolver os problemas, seja direta ou indiretamente.

Encare a verdade: “As pessoas são egoístas e estão pensando nelas mesmas, quase em todo o tempo.” Sua função como comunicador é falar com vista no interesse delas. O conhecimento sobre quem é o seu leitor-alvo e a sua persona vai te deixar mais apto a cumprir essa missão.

Enfim…

As ideias que defendo não são minhas. Eu as tomei emprestadas de Sócrates, recebi-as de Chesterfield, furtei-as de Jesus. E se você não gostar das ideias deles, quais seriam as idéias que você usaria?

Mapeio o trabalho de grandes comunicadores desde 2009. Dale Carnegie é um dos que mais me influencia. O cara morreu em 1955, mas deixou um legado incrível para o desenvolvimento humano. Para se ter ideia, seus livros já somam mais de 70 milhões de cópias publicadas e impressas em 38 idiomas. Não deixe de se aprofundar no trabalho dele. Você vai aprender muito!

Para fechar, deixe um comentário sobre o conselho que mais te tocou. 🙂

Paulo Maccedo

Paulo Maccedo é autor de livros sobre marketing e criação de riquezas e copywriter de resposta direta. Escreveu 2 livros best-sellers sobre escrita persuasiva, um deles, considerado o livro mais completo sobre copy do mercado brasileiro. Carioca, casado, pai do Peter Gabriel, gosta de rock, churrasco e literatura.

Este post tem 2 comentários

  1. Tenho uma relação direta com o Dale Carnegie, pois o primeiro livro que li com vontade mesmo foi “Como fazer amigos e influenciar pessoas”.

    Na verdade, era um Ebook e eu pedi para o meu pai imprimir… Rsrsrsrs…

    Eu andava com o meu filho recém nascido no colo e com as folhas lendo o livro.

    Acho que aprendi muita coisa com ele, tanto que a pouco eu comprei a versão impressa, apenas para lembrar onde tudo começou.

    1. Que legal, Samuel. Como eu havia dito, meu primeiro livro dele foi Como Falar em Público e Influenciar Pessoas no Mundo dos Negócios. Comprei aos 17 anos e até hoje uso para consulta. O cara era incrível. Esse título que você citou também é muito bom. Acho que ainda aprenderemos muito com Carnegie. 🙂

Deixe uma resposta

Fechar Menu